SITUAÇÃO:

De longe, Gorrinho admirou o Pico Alto. 

- Estamos no caminho certo. O acampamento fica no pé da montanha. 

O Pico se estendia do chão até as nuvens. De longe, parecia intransponível. 

- O guia comentou que é uma montanha com mil metros - comentou Jorginho.

Gorrinho percebeu que a montanha projetava uma sombra que chegava aos pés dos dois meninos. Deu um beijo na cabeça do amigo.

- Você é um gênio!

- Ai, por quê? - indagou Jorginho com nojo. 

- Com a informação que me deu, já posso calcular quantos metros faltam para chegar à base do Pico. 

Gorrinho tirou uma régua da mochila e mediu um toco de árvore fincado no chão. O toco possuía 160 centímetros de altura e projetava uma sombra no chão de 90 centímetros. 

Jorginho não entendeu nada:

- Por que você está medindo esse toco fincado no chão?

Gorrinho explicou:

- O sol que ilumina a montanha é o mesmo que ilumina esse toco. Logo, a sombra do toco servirá como referência para nós. por meio de uma comparação, mais conheecida como "regra de três", conseguirei calcular a sombra da montanha que representa a exata distância entre nós e o acampamento. 

Jorginho ficou impressionado:

- Sinistro! Mas, nesse momento, outra coisa me preocupa. Agora são quatro horas da tarde. Considerando que o sol se põe às 18hs e que levamos em média trinta minutos para andar cem metros nesse terreno cheio de pedras, lhe pergunto: chegaremos ao acampamento antes do anoitecer?

DICA: Você vai precisar de 3 regrinhas. 

1 - Para descobrir "Z". Use pitágoras. A soma dos quadrados dos catetos é igual ao quadrado da hipotenusa.

2 - Para descobrir X, use regra de três. Mil metros está para 160 centímetos, assim como X está para 90 centímetros. Depois, para descobrir Y, use a mesma regra. Mil metros está para 160 cm assim como Y está para Z.

3 - Para fazer o cálculo 2 e responder a pergunta de Jorginho, precisará convergir centímetros em metros.  

Mil metros

160 cm

90 cm

X

Y

Z

Autor: João Pedro Roriz

Ilustrador: Marcelo Perrone Campos

Inspirado na obra Gorrinho e Jorginho perdidos na mata, de João  Pedro Roriz (Paulus Editora). 

Todos os direitos reservados.