Referência histórica rápida e produtiva
 

 

João Paulo Martinho descreve o fenômeno histórico que envolveu e revolução paulistana da década de 20 com muita propruedade. Sua teorização histórica sobre este episódio curioso e triste da história nacional, ocorrida há quase um século, não apresenta documentação a cada movimento, não dialoga com fontes - salvo poucas transcrição de cartas como fontes primárias e citações de obras de História como fontes secundárias - mas é engajada e instituida de boa fé histórica baseada em recursos textuais bem justificados. O livro prende pela narrativa própria do jor...

UM REFERENCIAL ARTÍSTICO ELEGANTE E DE QUALIDADE

Gullar, o amigo poeta que se foi ano passado e deixou muitas saudades sempre escreveu com paixão. Em seu ensaio de 2011, "Sobre arte, sobre poesia (uma luz do chão)", publicado pela José Olympio Editor, não deixa por menos. Fala com propriedade sobre poesia e arte, principalmente ao expor seu pensamento político e filosófico sobre o tema.

O livro é referencial para quem tem paixão ou trabalha com o tema. O momento em que mais surpreende é quando aborda o interesse do Estado pela apropriação do elemento subjetivo do artista - que vive a dicotomia...

DEIXA-SE ENGANAR, CORAÇÃO!

Começo a crítica com uma confissão: amo Antônio Skármeta e tudo que ele escreve. Pronto! A crítica poderia acabar aqui mesmo. Não há nada que a razão possa fazer diante das provocações do coração. O chileno, autor de "O Carteiro e o Poeta", aprendiz de Pablo Neruda tem o dedo doce. Escreve novelas como ninguém. E sua prosa curta contamina. Diria até que revoluciona pela simplicidade - último nível da sofisticação. O que sobra em Skármeta (a despretensão), falta nos outros grandes escritores que saem do passo básico da dança não apenas para abrilhantar a coreografia e surp...

22 Jun 2017

Crítica de João Pedro Roriz sobre o livro Sepé Tiaraju - Romance dos sete povos das missões, de Alcy Cheuiche (AGE)

12 May 2017

AUTORA INGLESA DEFLAGRA INFELICIDADE HUMANA DIANTE DE SEU POTENCIAL DE CONQUISTA

Por João Pedro Roriz

A autora inglesa de família indiana Jhumpa Lahiri marca seu nome na literatura mundial com o best-seller “O Xará”, publicado no Brasil pela Editora Globo. A obra narra o período de cinquenta anos de conquistas e dificuldades de uma família indiana que migra para os Estados Unidos nos anos sessenta.

O choque entre gerações e o conflito permanente entre aqueles que nasceram na Índia e na América ditam o ritmo do livro que tem como protagonista o jovem Gógol, homônimo de um famoso escritor russo que é i...

27 Jan 2017

NOVELA COM CANGACEIROS E GAÚCHOS PRENDE, CONVENCE E DIVERTE!

Não é de hoje que Julio Ricardo da Rosa surpreende. Finalista do Prêmio Açorianos em 2015 com "O Segredo de Yankev Shimidt" (Dublinense), lançou, no final de 2016, a novela "O Covil do Diabo" (Dublinense). A obra é marcada pelo enredo envolvente que mistura dois fenômenos sociais e históricos distintos que, até o momento, pareciam insociáveis: o cangaço e a cultura bélica galdéria. 

Vítima de uma guerra civil nunca declarada, a plutocracia nordestina se escancara. Coronelismo e cangaço disputam o árido sertão nordestino. Quando o Coro...

12 Sep 2016

OBRA MARCA A PASSAGEM DO SÉCULO DAS BARBÁRIES 


“Lugar comum” é o termo que se aplica a muitas obras que abordam a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Após o descortinar da infâmia, do sangrento episódio que manchou com sangue o século que passou – e que, ao menos em nossas expectativas, findou com determinante marco a época da barbárie – sobrou pouco material inovador para o desenvolvimento de obras a cerca do famigerado tema. 

Mas como leitor, não deixo de me surpreender. Nos escaninhos de tão vasculhado tema, reside na condição de superação, na resoluta vontade de sobreviver, um subtema que man...

HISTÓRIA CAPAZ DE ACENDER UMA FOGUEIRA NO PEITO

Não é de hoje, que tenho tropeçado em superficialismos. Nas estantes das livrarias, automatismos, ansiedades, formas genéricas de sucesso e algumas assertivas literárias em poucas biografias. Granjear novas experiências literárias está cada vez mais difícil, ainda mais para leitores como eu, apaixonados pela boa prosa, pelos contadores de história, aquela doce lembrança que faz o sumo da laranja escorrer pela boca.

Quem acompanha minha coluna deve pensar que deixei de ler. Nunca! As poucas publicações sobre minhas leituras são resultado dessa escassez...

ENTRELINHAS QUE DISCURSAM SOBRE O PODER E O DESEJO

Um bom motivo para morar em Porto Alegre: as grandes livrarias vendem livros de autores gaúchos. É uma característica que nenhuma Saraiva, Nobel, Cameron ou Cultura possui fora do Rio Grande do Sul.  
 

Vou diariamente às livrarias ver as novidades. Inverossímil, de Rodrigo Rosp pulou da prateleira e acabou passando na frente da minha lista de leitura. A obra publicada pela Não Editora é um pequeno dicionário de pieguices. Mistura erotismo com técnicas narrativas em uma novela rápida e diminuta. Conta a história de uma jovem estudante de letras que...

28 Sep 2015

THRILLER COM TOM JUVENIL QUE DIVERTE E ASSOMBRA

“Você é um homem ou um rato”, a pergunta ainda não foi respondida. Antigamente, era assim que nossos pais e professores resolviam nossos problemas, nos desafiando. “Pai, sabe o Lucas, aquele monstrengo do oitavo ano? Ele me bateu!”. A resposta era imediata: “vá lá e bata nele também”.  Como o garoto era imenso, preferia esquecer a história mais uma vez.


Não foi a toa que me identifiquei com o livro “Ratos” (original Mice), de Gordon Reece, lançado em 2010 no Brasil pela Intrínseca. Em um roteiro que denota a cultura de violência no mundo moderno,...

O site PELA TOCA, especializado em literatura publicou no dia 8 de setembro de 2015 uma crítica de João Victor Araújo sobre o livro "Céu de um verão proibido", de João Pedro Roriz (editora BesouroBox). 

 

A obra recebeu nota alta (4 de 5) e elogios sobre o enredo e a proposta de produção de texto. "A maneira que Roriz escreve é deliciosa de se ler", diz o crítico, que também elogiou os personagens secundários da trama por seu carisma. .

 

 

O crítico manifestou entusiasmo com a temática da obra. Segundo ele, "Céu de um verão proibido" consegue "abordar temas pesados de forma leve" e por esse motivo, co...

Please reload

 OPINIÃO

TEXTOS CRÍTICOS SOBRE ARTE, COMPORTAMENTO, POLÍTICA E INDÚSTRIA CULTURAL

 OPINIÃO

Por João Pedro Roriz