SITUAÇÃO:

Sem outra solução, Jorginho aplicou forte joelhada no meio das pernas de Gorrinho. Conseguiu livrar-se do ataque e caiu no chão sufocado. 

Gorrinho desmaiou. 

- O que deu em você? - gritou Jorginho revoltado, ainda lutando para respirar. 

Jorginho escutou barulho de pisadas ao longe. Só podia ser alguém! Precisou deixar Gorrinho desmaiado no chão. Reuniu forças para correr em direção ao barulho das pisadas. 

- Ei! Ei! - gritou Jorginho. - Alguém nos ajude! Socorro!

Não demorou muito, Jorginho encontrou-se com um andarilho com uma mochila enorme nas costas. 

Começou a chorar. 

- Graças a Deus, estamos salvos!

O andarilho cercou Jorginho de cuidados. Também tentou ajudar Gorrinho, que permanecia desmaiado. 

- Ele está muito mal - disse o homem. - Ele pode ter ficado muito tempo sem comer, feito algum esforço físico exagerado, ingerido algo venenoso, ter sido poupado de oxigênio ou tomado muito sol. 

- Sim, quase tudo isso! - exclamou Jorginho. 

O mochileiro riu e, demonstrando tranquilidade, disse:

- Seu amigo precisa beber água e descansar. Vou arrumar uma proteção para a chuva, dar algo para vocês comer e acender uma fogueira para vocês. é o máximo que posso fazer. 

- Espera um pouco - interviu Jorginho. - Não vai esperar meu amigo acordar e nos levar junto com você?

- Não posso! - disse o mochileiro. - Estou participando de um concurso de sobrevivência que reúne centenas de aventureiros experiêntes. Aquele que encontrar primeiro a localização do acampamento ganhará 150 mil reais.

 

Jorginho arregalou os olhos.

 

- Não é possível. O guia do nosso grupo não me falou nada sobre esse concurso. Ainda nos cobrou uma nota preta por esse acampamento. 

 

O mochileiro fez um sinal de negativo com a cabeça e lamentou:

 

- Muitos guias sem escrúpulos recrutam jovens em escolas para ajudar a vencer desafios logísticos como este. Isso é contra as regras e contra a Lei. Seu guia precisa ser preso. 

 

Trinta minutos mais tarde, Jorginho e Gorrinho já tinham comida e uma fogueira bem quentinha. O Mochileiro se despediu e seguiu sua trilha no meio da mata. Jorginho percebeu que precisaria de mais lenha para a fogueira e subiu em uma árvore próxima dali para quebrar pequenos galhos. De cima, escutou a voz de um homem.

 

- Eu conheço essa voz - disse o menino. 

 

Para sua surpresa, percebeu que era seu guia. Se comunicava através de um rádio e não percebera a presença do Jorginho por ali. 

 

- Gorrinho está mal. Está quase morto! - disse o homem pelo rádio. - Acho que perdemos o adolescente mais inteligente do nosso grupo. Minha intenção era seguir os dois e matá-los quando finalmente conseguissem encontrar o acampamento. Só assim ganharíamos o prêmio. Mas eles foram incompetentes.  Seguirei sozinho a partir daqui. 

Jorginho sentiu um frio na espinha. Naquele momento, perguntou-se "O que devo fazer"?

Autor: João Pedro Roriz

Ilustrador: Marcelo Perrone Campos

Inspirado na obra Gorrinho e Jorginho perdidos na mata, de João  Pedro Roriz (Paulus Editora). 

Todos os direitos reservados.