Escritor, autor de 35 obras literárias, grande parte de relevância paradidática juvenil; dramaturgo, autor de diversas peças de teatro, bacharel em Jornalismo, colaborador de revistas e jornais, professor com licenciatura plena em História, pós graduado em Psicopedagogia e Docência do Curso Superior. É empresário, dono da empresa Arte em Voga e Ator profissional com experiência em teatro e televisão.

João Pedro RorIz

Biografia

VIDA E OBRA

     João Pedro de Sá Roriz, mais conhecido como João Pedro Roriz, nasce em Niterói, no estado do Rio de Janeiro, em 1982. Vive no Rio de Janeiro até 1995, quando se muda para a cidade de Araruama, na Região dos Lagos. Lá se encanta pelo teatro e integra a Cia de Teatro Mônica Abreu, onde tem suas primeiras experiências como ator em peças de teatro infantis. Em 1997, então com 14 anos, é convidado a integrar o elenco da peça "Violetas na Janela" com direção de Ana Rosa Galego Correa, no Rio de Janeiro. Essa é uma época muito difícil, pois precisa morar com parentes e se sustentar sozinho, longe da mãe, além de conciliar os estudos no ensino médio com a vida artística. Torna-se ator profissional em 1998 pela SATED/RJ com registro 25332. O espetáculo "Violetas na Janela" torna-se sucesso de bilheteria e fica em cartaz por 11 anos. Graças ao projeto, Roriz conhece diversas cidades brasileiras e atua nas melhores casas de espetáculo do País. Apesar de ter muito amor pelo teatro, sempre guarda o desejo de escrever profissionalmente. Ainda em 1998, começa a escrever as crônicas do "Gorrinho" e a primeira novela juvenil, "Eros e Psique".

    Em 1999, após realização de um teste, é convidado a integrar o elenco da minissérie "A Muralha" na Rede Globo. O projeto é baseado no livro homônimo de Dinah Silveira de Queiroz e faz parte das comemorações de 500 anos da descoberta do Brasil, sob direção geral de Denise Saraceni e Carlos Araújo, com texto assinado por Maria Adelaide Amaral. Roriz contracena com grandes ídolos da TV brasileira como Tarcísio Meira, Mauro Mendonça, Alexandre Borges, Caco Ciocler, Alessandra Negrini, Stênio Garcia, Matheus Nachtergaele, entre outros. Para viver o personagem "índio Parati" nessa minissérie, Roriz precisa fazer laboratórios na mata, se integrar aos índios xavantes e se entregar a um universo completamente desconhecido. Sua maquiagem diária é pesada: antes de gravar, tem o corpo todo pintado com tinta a base de urucum; precisa depilar todos os pelos do corpo (inclusive sobrancelhas), usar roupas mínimas e  aprender a manejar armas e montar em cavalo sem cela. 

     Em 2001, aos 19 anos, opta pela faculdade de Comunicação Social. Nessa época, frequenta a boemia carioca e participa de eventos literários, onde costuma se apresentar com performances poético-teatrais e números musicais. Em 2002, cria a cia de teatro "Arte em Voga". Escreve, produz e atua no espetáculo musical "Carmem não ama ninguém", com direção de Carrique Vieira. Roriz tem a partir desse momento outras experiências como ator em projetos televisivos, como as séries educativas "Despertar para o terceiro milênio" (Cultura, 2003) e a série educativa "Tecendo o Saber" (Globo - Futura, 2005). Realiza ainda outros projetos em teatro musical, com destaque para "Alegres Comadres", com direção de Dom Carrera, e "O Rouxinol", com direção de João Gomes. 

   Em 2005, publica seu primeiro texto no Jornal O Globo intitulado "A cidade pelos trilhos do metrô". Publica crônicas e artigos no Jornal do Brasil e em diversos veículos nacionais. Em 2006 e 2007, publica respectivamente dois livros de poemas: "Poesia Teatral" (Ibis Libris) e "Liras Dramáticas" (ViaNapole). Nessa ocasião, o imortal da Academia Carioca de Letras Edir Meirelles afirma: "Roriz não está só: junta-se aos grandes poetas como Castro Alves, Mário Faustino e Ferreira Gullar. Enraizada em nosso cotidiano, sua temática é universal". Em 2007, escreve o livro "A História das Artes Dramáticas" (Arte em Voga, 2015) e recebe elogios de colegas de profissão. Bemvindo Sequeira escreveu: "Fico extasiado diante da verve e da capacidade de síntese de João Pedro Roriz. Deslumbra-me o brilho desse jovem". Em 2007, é convidado pela Prefeitura do Rio de Janeiro para atuar como coordenador de projetos literários no Centro Cultural Oduvaldo Vianna Filho onde cria o sarau poético "Um castelo de palavras" e a "Oficina Novos Autores", através da qual orienta a carreira de diversos escritores. No mesmo ano, é convidado a assumir o cargo de Assessor de Cultura da Universidade Castelo Branco. Em sua gestão de 4 anos, cria a "Cia de Teatro da Castelo Branco" e o "Centro Cultural da UCB" que desenvolve diversos projetos artísticos na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Em 2008, idealiza o programa "Rio Cultural", na Rádio Rio de Janeiro, onde permanece até 2014. 

   Em 2009, publica seu primeiro livro juvenil, "Gorrinho: uma loucura crônica", pela editora Paulus. A obra é lançada na FNLIJ e esse é o primeiro contato do escritor com o público adolescente. A obra torna-se uma referência paradidática, adotada por escolas e prefeituras e recebe o prêmio "Meus livros favoritos na escola" da Prefeitura de São Paulo. No ano seguinte, o autor recebe novamente o prêmio, dessa vez por "Eros e Psique", também publicado pela Paulus. Em 2011, cria o projeto "Bullying - não quero ir pra escola", uma palestra teatralizada e um livro publicado pela Paulinas (SP). A atividade é realizada em escolas de todo o País e vira notícia nos principais veículos jornalísticos. Roriz assina contrato com a carioca WAK em 2013 através da qual publica os livros de humor juvenil "Como educar sua mãe" e "Como educar seu pai". Em 2014, assina com a editora gaúcha BesouroBox, através da qual publica os sucessos "Céu de um verão proibido" e "O mistério das quatro estações". 

    Em 2014, com 32 anos, o escritor casa-se com a psicóloga e fotógrafa gaúcha Cândida Cunha e passa a dividir residência entre Rio de Janeiro e Porto Alegre. Participa de diversos eventos culturais e educacionais no RS. Passa a realizar palestras motivacionais para professores e torna-se patrono de feiras literárias em prefeituras e escolas. Nessa época, publica diversas obras para o projeto social "Direito e Cidadania", da FAPCOM. Entre eles, o livro com a peça de teatro "bullying - se correr o bicho pega", cuja tiragem de 250 mil exemplares é distribuída para crianças assistidas por ONGs parceiras do projeto. A peça ganha montagens amadoras e profissionais em todo o território nacional. Roriz realiza diversos projetos de consultoria pela FAPCOM nessa época. Abre em 2017 a distribuidora de livros e a editora da Arte em Voga, além do selo "Desdobra", através dos quais publica obras autorais e de outros escritores. Passa a realizar consultorias pedagógicas em escolas e também na área de produção cultural. Realiza, como produtor, diversas feiras do livro pelo País e passa a agenciar outros escritores. Ainda em 2017, opta por fazer uma segunda graduação. Escolhe o curso de História - licenciatura, no qual se forma em 2020. Em 2018 o livro "Céu de um verão proibido 2" é indicado ao prêmio Minuano de literatura juvenil. Roriz realiza uma especialização em Docência do Curso Superior. Em 2019 e 2020, o livro "O mistério das quatro estações" é aprovado no edital do "Programa Nacional do Livro Didático", do Governo Federal. A obra recebe tiragem de 60 mil exemplares e torna-se bastante popular entre os adolescentes. No mesmo ano, o escritor realiza sua segunda especialização, dessa vez em Psicopedagogia.  

LIVROS DE JOÃO PEDRO RORIZ

  • Dois Dedos de Sol (Coralina, 2020 - prelo)

  • Na escuridão de um mar sem fim (BesouroBox, 2020 - prelo)

  • Passos no escuro (BesouroBox, 2020 - prelo)

  • O Cheiro das Cores (Direito e Cidadania, 2018)

  • O segredo do meu melhor amigo (BesouroBox 2018)

  • Como educar seu pai (WAK 2017)

  • Céu de um verão proibido 2 (BesouroBox 2017)

  • O colecionador de paixões (Arte em Voga 2017)

  • A história de Lúcia (Arte em voga 2017)

  • Poemas escolhidos (Arte em Voga, 2016)

  • Família Forte (Direito e Cidadania 2016)

  • O mistério das quatro estações (BesouroBox 2016)

  • O colecionador de amigos (Direito e Cidadania 2016)

  • Gorrinho 2 - O mistério está no ar (Paulus 2016)

  • A dor se lê essência (2015)

  • Gorrinho e Jorginho (Direito e Cidadania, 2015)

  • A história das artes dramáticas (Arte em Voga 2015)

  • Crônicas rabugentas (Arte em Voga 2015)

  • Bullying - se correr o bicho pega (Direito e Cidadania 2014)

  • O homem de barbas brancas (Paulus 2014)

  • Como Educar sua mãe (WAK 2014)

  • Céu de um verão proibido (BesouroBox 2014)

  • O Mistério de Troia (Paulus 2014)

  • Bullying não quero ir pra escola (Paulinas 2014)

  • Chica da Silva (Paulus 2013)

  • A Maldição de Hera (Paulus 2013)

  • Romeu e Julieta (Paulus 2013)

  • Almanaque da cidadania (Paulus 2013)

  • Orgulho e Preconceito (Paulus 2012)

  • Eros e Psique (Paulus 2011)

  • Gorrinho, uma loucura crônica (Paulus 2010)

  • Liras Dramáticas (ViaNapole 2008)

  • Poesia Teatral (Ibis Libris 2006)

PEÇAS DE TEATRO 

  • Ariano - uma rapsódia no sertão

  • A terra do contrário

  • É só o amor

  • A história de Lúcia

  • A cidade dos contos

  • Bullying se correr o bicho pega

  • Bullying não quero ir pra escola

  • Carmem não ama ninguém

  • As mil faces do Arlequim

 

BAIXAR MATERIAL

FOTOS DA CARREIRA

1/2

1/1

1/3

1/1
  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle
  • Google+ - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

João Pedro de Sá Roriz Comércio Atacadista de Livros, jornais e outras publicações.

arteemvoga@arteemvoga.com.br